theblackgarden

Just another WordPress.com site

Fan poser de Green Day dezembro 23, 2011

Filed under: Posers — theblackgarden @ 8:51 pm

” Se tem uma coisa que me irrita são os fans posers,  

poha se vc não curte a banda ou ainda não á conhece bem, não saia dizendo que a ama ou a conhece dos pés a cabeça só pra fazer amizades ou sei lá mais oq…. “

Olhem as fotos de um poser falando comigo via orkut :

”  Eu estava falando com ele e um Fan clube do GD tbm nós não estavamos acreditando naquele poser kkk “

 “Agora pergunto se ele gosta da ” letra ” de “Last Ride in ” do Green Day, quem é fan entende …. “

” E por fim Graças a falarmos como é o nome correto do vocalista Bllie Joe Armstrong ele trocou e arrumou… ” 

” Na boa…..posers se matem e deixem os fans de verdade de cada banda em paz ^^ “

By : The Black Garden

 

Sex Pistols dezembro 17, 2011

Filed under: Sex Pistols — theblackgarden @ 6:40 pm

Sex Pistols

 

Sex Pistols foi uma célebre banda inglesa de punk rock, formada em Londres, no ano de 1975. Embora não tenham sido a primeira banda de punk do país, foram influentes por trazer o movimento punk do Reino Unido para a atenção mundial, e inspiraram diversos artistas posteriores de punk e rock alternativo. Sua carreira durou apenas dois anos e meio, e produziu apenas quatro singles e um álbum de estúdio, Never Mind the Bollocks, Here’s the Sex Pistols.

A banda era composta originalmente pelo vocalista

John Lydon

” Quer saber mais sobre o johnny ? Então clique no nome dele e você irá para a matéria que o The Black Garden fez sobre ele !!! “

 o guitarrista 

Steve Jones

Philip Stephen “Steve” Jones (3 de setembro de 1955 em Shepherds Bush, Londres) é um cantor e guitarrista Inglês de rock e ator, mais conhecido como guitarrista e membro fundador da banda de punk rock Sex Pistols.

Steve Jones nasceu em Shepherds Bush, Londres. Suas primeiras influências foram Iggy Pop & The Stooges, e ícones do glam rock como Roxy Musice David Bowie. Ele era apenas uma criança e seu pai, um pugilista amador, o deixou quando ele tinha apenas dois anos de idade.

Até à idade de doze anos, ele cresceu em Hammersmith com sua jovem mãe, que trabalhava como cabeleireira, e seus avós. Ele então se mudou para Benbow Road, em Shepherd’s Bush com sua mãe e seu padrasto, onde viveram em um quarto de porão. Jones nunca foi muito próximo de seu padrasto, que ganhava a vida fazendo peças para fogão eléctrico.

 

 o baterista 

Paul Cook

Paul Thomas Cook (Londres, 20 de Julho de 1956)

e o baixista 

Sid Vicious

” Quer saber mais sobre o Sid ? Então clique no nome dele e você irá para a matéria que o The Black Garden fez sobre ele !!! “

.Sob a condução do empresário Malcolm McLaren, a banda criou controvérsias que cativaram a Grã-Bretanha; seus shows frequentemente eram fonte de problemas para organizadores e autoridades, e suas aparições públicas quase sempre terminavam em confusões. O single de 1977, “God Save the Queen”, que atacava o conformismo social e a subsmissão à Coroa da sociedade britânica, precipitou a “última e maior epidemia de pandemônio moral com base no pop”.

Em janeiro de 1978, ao fim de uma turbulenta turnê nos Estados Unidos, Rotten abandonou a banda e anunciou o fim dela. Ao longo dos próximos meses, os três outros integrantes gravaram músicas para a versão cinematográfica da história da banda, The Great Rock ‘n’ Roll Swindle. Vicious morreu de overdose de heroína em fevereiro de 1979. Em 1996 Rotten, Jones, Cook e Matlock se reuniram para a Filthy Lucre Tour e, desde 2002, se apresentaram em diversos shows e turnês. Em 24 de fevereiro de 2006, os Sex Pistols—os quatro membros originais, e Vicious—foram indicados para o Hall da Fama do Rock and Roll, porém se recusaram a comparecer à cerimônia, chamando o museu de “uma mancha de mijo”.

O começo

O Sex Pistols surgiu numa conjuntura favorável ao nascimento da cultura punk. Malcom McLaren foi um dos maiores responsáveis pela propagação do punk-rock no Reino Unido. A história de McLaren começa a ficar interessante em 71, quando foi inaugurada a Let It Rock, uma loja de roupas para a nova geração de teddy boys – filhotes das gangues originais, surgidas nos idos de 53. Desde então, McLaren tornou-se uma celebridade entre músicos e modernos londrinos.

Em 1973, os integrantes da banda protopunk New York Dolls entram na Let It Rock. O visual da banda (uma mistura de glitter e sadomasoquismo) conquista McLaren e ele vira seu empresário. Em Nova Iorque, percebe o quanto os New York Dolls estavam ultrapassados e salta borda fora. Apesar de renegar os Dolls, o empresário trouxe uma ideia brilhante dos Estados Unidos. Depois de perceber que o que valia no mundo do rock, em 75, era muito mais a atitude do que o som, McLaren decidiu construir uma banda segundo seus novos padrões.

 

Mais uma vez em Londres, reassume a sua loja – agora chamada SEX – e transforma-a no epicentro do terremoto que sacudiria o mundo pop, ajudado pela estilista Vivienne Westwood. Segundo o próprio McLaren, criou os Sex Pistols.

Reunir os quatro Pistols foi fácil: Steve Jones e Paul Cook (respectivamente guitarrista e baterista) viviam na SEX. Glen Matlock, baixista e empregado da loja aos sábados, foi convocado imediatamente. Faltava escolher um vocalista.

Depois de descartar o crítico Nick Kent e o cantor Richard Hell para a vaga, a banda experimenta um velho freqüentador do sítio, um adolescente de dentes podres chamado John Lydon. O teste é feito na loja, com o vocalista a cantar numa jukebox. Johnny, que nunca tinha cantado na vida antes, foi aprovado pela sua postura e comportamento anti-social. Em resumo, era perfeito para a vaga. Os ensaios começam. Agora a banda chama-se Sex Pistols e John Lydon vira Johnny Rotten (literalmente, Joãozinho Podre).

 

O primeiro concerto acontece em 6 de novembro de 1975, que foi um fiasco inevitável dada a pouca preparação da banda. Esse mítico show é retratado no filme 24H Party People. A personagem central do filme, Tony Wilson (patrão da editora Factory e da discoteca Hacienda – responsável pelo lançamento de bandas como os Joy Division, Happy Mondays e New Order), afirma no filme que aquele concerto foi o início do movimento que se seguiria, um movimento que ainda hoje permanece e com muito sucesso.

 

O movimento alastra-se

Paralelamente ao início dos Pistols, dezenas de bandas começam a seguir o estilo, sobretudo em Londres. O movimento alastrou-se rapidamente. O motivo para tanta rapidez era simples, os jovens estavam cansados com o conformismo e com as bandas de rock progressivo da época.

Não por acaso, um jovem chamado Joe Strummer resolveu acabar sua banda, o 101’ers e formar o The Clash depois de dividir o palco de um pequeno festival com os Sex Pistols.

O grupo The Clash foi formado em 24 horas, em 76. Depois de um encontro no mercado de rua de Portobello Road, Mick Jones (guitarra), Paul Simonon (baixo) e Strummer já começaram a ensaiar. Achar o baterista Terry Chimes foi apenas questão de tempo. Logo, os Pistols tinham com quem dividir as parcas luzes do circuito punk londrino.

O movimento crescia a cada dia e bandas não paravam de surgir – entre elas The Damned, The Stranglers, Siouxsie & The Banshees, Generation X (que contava com um vocalista endiabrado chamado Billy Idol), mas até meados de 1976 nenhum disco havia sido lançado. O primeiro compacto punk saiu em 5 de novembro do mesmo ano, “New Rose” da banda The Damned. Pouco antes, em 8 de outubro, os Pistols assinam o histórico contrato com a EMI – a gravadora dos Beatles, The Animals e The Mamas & The Papas, entre muitos outros. Um mês depois, chega às lojas o histórico “Anarchy in the U.K.”, que acertou o alvo – o caquético império britânico e os seus valores – mas não derrubou por completo o adversário. Os Pistols ainda eram conhecidos apenas no gueto de onde surgiram.

Mas a televisão encarregou-se de levar o punk aos púdicos lares ingleses. No dia 1 de dezembro de 1976, Siouxsie, os Pistols e outros punks são os astros de um dos programas de maior audiência da TV inglesa, levado ao ar às cinco da tarde, a famosa hora do chá, na qual famílias concentram-se frente à TV. Depois do programa, dois milhões de britânicos passam a amar ou odiar os Sex Pistols. 

Motivo: pela primeira vez na história, a expressão “Fuck Off” (Foda-se) é dita diante das câmeras. O protagonista da história só podia ser Johnny Rotten.

Melhor golpe de marketing seria impossível. A imprensa caiu de pau no episódio, detonando os Pistols por completo e, de quebra, levando o movimento às primeiras páginas de todos os jornais. Dez mil cópias de “Anarchy In The U.K.” são vendidas diariamente. Contudo os Pistols são expulsos da EMI em 6 de janeiro de 1977.

1977: O ano do punk

 

Glen Matlock nunca se deu bem com Johnny Rotten, apesar de ser considerado por muitos o melhor músico do grupo. Em fevereiro de 1977 as brigas encresparam – sobretudo no que se referia às suas diferenças políticas – e Matlock é enxotado. A saída do baixista motivou a entrada daquele que viria a ser o maior símbolo do punk rock em todos os tempos, Sid Vicious.

O melhor amigo de Rotten não sabia tocar, e estava o tempo todo chapado com drogas de todo o tipo. Contudo, sua performance (posando) ao vivo e sua personalidade autodestrutiva deram o toque final na fórmula do grupo. Vicious dá trabalho desde o início: num dos primeiros ensaios, passa mal e é levado as pressas para o hospital. Diagnóstico: hepatite causada pelo alto consumo de álcool e droga.

Apesar de terem cancelado dezenas de shows, os Pistols logo assinaram um contrato com a gravadora A&M Records, e aproveitando o jubileu de prata da rainha Elisabeth II, quando completou 25 anos no poder da Inglaterra, a banda solta o compacto de “God Save The Queen”. A canção trazia uma das máximas do movimento punk: “Não há futuro na Inglaterra.”

Em março, foi a vez da A & M despedir o grupo. Os motivos foram exatamente os mesmos da EMI, mas desta vez os quatro Pistols e McLaren embolsaram cerca de 75 mil dólares cada um. Dois meses depois, a Virgin contratou a banda. Enfim, o grupo achara a gravadora perfeita. Dirigida por Richard Branson – um jovem milionário excêntrico e quase tão maluco quanto os músicos que contratara, a Virgin banca todas as brigas dos Pistols, inclusive o veto da BBC a “God Save The Queen”. Numa das raras entrevistas dadas pelos Pistols na época, Johnny Rotten explica a revolta de sua banda: “A música precisa dar assistência a todo esse lixo (a sociedade britânica). A música tem que mostrar saídas para se vencer a estagnação. Ela tem que ser verdadeira mas também bem-humorada. E isso não é política.”

O compacto chegou à terceira posição na parada britânica enquanto a banda preparava seu tão aguardado álbum de estréia, que acabou sendo lançado em 12 de novembro: “Never Mind The Bollocks, Here’s The Sex Pistols” (“Não se preocupe com suas bolas, aqui estão os Sex Pistols”). Então, de repente, a Inglaterra ficou pequena para o punk rock.

 

 

O último tiro dos Pistols

Mais uma vez os pioneiros são os Pistols. A banda foi para os Estados Unidos em janeiro de 1978 e encontra o país no auge da febre disco, apesar da aceitação do punk entre alguns poucos nova-iorquinos. O visto de permanência no país valia apenas dezesseis dias, o que força a banda a fazer uma miniturnê em ritmo de maratona. Ela passa por Atlanta, Dallas, Tulsa e, finalmente, chega ao berço do psicodelismo, San Francisco.

No dia 14 de janeiro os Pistols fazem seu último show, para uma platéia de 5500 pessoas. Quatro dias depois, no restaurante do hotel onde a banda estava hospedada, em San Francisco, Paul Cook e Steve Jones dizem a Rotten que querem acabar com a banda. Pior: McLaren pensava o mesmo. O vocalista subiu até o quarto do empresário. Lá, ouviu Mclaren confirmar a história e ainda expulsá-lo da banda, sob a acusação de ser responsável pelo fracasso de vários projectos do grupo – entre eles a famosa visita ao assaltante Ronald Biggs no Rio de Janeiro, feita por Cook e Jones pouco tempo depois.

Enquanto a banda chegava ao fim, Sid Vicious estava internado num hospital, a recuperar-se de mais uma overdose. Depois do desmantelamento dos Pistols, o baixista ainda gravou algumas canções com Cook e Jones, como a absurda versão de “My Way” e “Belsen Was A Gas”, incluídas no filme e disco The Great Rock N Roll Swindle.

Vicious iniciou então uma carreira solo, acabada numa cela de cadeia. O baixista foi preso pelo suposto assassinato de sua namorada Nancy Spungen, em 11 de outubro de 1978. O fato nunca ficou totalmente esclarecido: o corpo esfaqueado foi achado no banheiro do quarto 100 do Hotel Chelsea, onde eles viviam. Boatos dizem que Sid estava completamente chapado de heroína ao seu lado. O baixista foi preso imediatamente e só saiu da cadeia após a Virgin ter pago uma fiança de 50 mil dólares. Em 2 de fevereiro de 1979, menos de 24 horas depois de sua libertação, Vicious sofre uma overdose de heroína no banheiro da casa de sua mãe durante uma festa. Aos 21 anos de idade, estava morto o homem-símbolo do punk rock.

Malcom McLaren, Paul Cook e Steve Jones chegavam a Nova Iorque poucas horas depois, ironicamente com a intenção de manter Vicious longe da heroína. “Não creio que Sid morreu por causa dos problemas com os Pistols. O que eu não entendo é como as pessoas que estavam com ele na festa o deixaram consumir heroína”, disse Mclaren a Melody Maker, dias depois da morte do baixista.

O engodo assumido The Great Rock N’ Roll Swindle só veio para colocar um ponto final no mito Sex Pistols. Tanto o disco quanto o filme são obras erráticas, que valem apenas pelo registro de algumas das imagens – sonoras e visuais – mais importantes da história do punk. Na seqüência em que Vicious canta “My Way” e estoura os miolos da platéia de velhinhos que o assiste está resumida a história dos Pistols – arrasou a Inglaterra e mudou os conceitos do rock para sempre.

Relançamento de “Never Mind The Bollocks”

Em 14 de Setembro de 2007, os integrantes da formação original do Sex Pistols (Johnny Rotten, Steve Jones, Paul Cook e Glen Matlock) anunciam sua volta aos palcos em apresentação única. O show de dia 8 de novembro de 2007, na Brixton Academy, Londres, com o objetivo de comemorar os 30 anos do álbum “Never Mind The Bollocks” e também o realizar seu relançamento.

Em 2008 tocaram no Festival de Paredes de Coura em Portugal.

Frases

 

  • “Eu não preciso de um Rolls-Royce, eu não preciso de uma casa no campo, eu não tenho que morar na França. Eu não tenho heróis do rock. Eles são desnecessários. Os Stones e o The Whonão significam nada para mim; eles estão estabilizados. Os Stones são mais um negócio do que uma banda.” Johnny Rotten (Dezembro de 1976)
  • “A música precisa dar assistência a todo esse lixo (a sociedade britânica). A música tem que mostrar saídas para se vencer a estagnação. Ela tem que ser verdadeira mas também bem-humorada. E isso não é política.” Johhny Rotten (explicando a revolta da sua banda)

  • “…Never Mind The Bollocks, todos concordam, é um dos melhores discos do século XX.” Pete Townshend (Guitarrista do The Who /Q Magazine – junho/96)
  • “Os Sex Pistols pertencem a um grupo muito seleto de artistas, que podem afirmar com convicção haverem mudado o mundo.” Johnny Roten (24 de junho de 1996)

  • “Não creio que Sid morreu por causa dos problemas com os Pistols. O que eu não entendo é como as pessoas que estava com ele na festa o deixaram consumir heroína.” Malcom Mclaren (Melody Maker / dias depois da morte do baixista)
  • “Eu acho que o Clash vende tantos discos por que estão sempre na TV e nos jornais falando sobre o movimento punk… Então os jornais falam bastante de seus discos, e estes vendem.” Malcom McLaren (Sounds/junho/76)

  • “Eu ouvi o quanto vocês gostam de Dolly Parton aqui… Vocês ainda comemoram o aniversário do Elvis Presley?” Johnny Rotten (na turnê americana de 78)
  • “O rock n’roll está acabado, você não entende? Os Sex Pistols acabaram com o rock, eles são a última banda real de rock n’roll” Johnny Rotten

  • “Não há futuro para o sonho brasileiro” Johnny Rotten (1996 – mudando a letra de “God Save The Queen”, no show em São Paulo)
  • “Eu quero ser um anarquista em São Paulo” Johnny Rotten (1996 – mudando a letra de “Anarchy In The U.K.”, no show em São Paulo)

  • “O punk sempre foi decepcionante! E sempre será. Sempre” Johnny Rotten (1996)
  • “A única mensagem que temos para passar é a de que os Sex Pistols são a coisa “real”. Somos a melhor banda punk… Esqueça o punk, isso não existe mais. Somos a melhor banda de rock de todos os tempos.” Steve Jones (1996)

  • “Punks eram as aparelhagens de som que nos davam para tocar e o público bêbado e idiota.” Glen Matlock (1996)
  • “O punk nasceu de uma maneira bem pouco musical. Eu estava andando com minha camiseta ‘Eu odeio Pink Floyd’ e fui convidado para ir à loja Sex de Malcom e Vivienne. Como não sabia cantar, fiz mímicas de uma música do Alice Cooper.” Johnny Rotten (no livro “Rotten – No Irish, No Black, No Dogs”)

  • “Nós inventamos o punk. Nós dizemos como as coisas são.” Johnny Rotten (1996)
  • “Nossa atitude de quebrar tudo só vai durar até quando estivermos tão velhos quanto o Pete Townshend, fazendo rock só pelo dinheiro, mas quando isso acontecer, Sex Pistols não existirá mais.” Paul Cook (1976)

  • “Nós encontramos uma causa comum (para voltar), a paixão e o dinheiro. Não preciso realmente disso, mas um pouco mais, por que não? É um assalto a luz do dia.” Johnny Rotten (1996)
  • “Toda vez que alguém diz que alguma coisa é sagrada e não deve ser tocada, eu quero tocá-la.” Johnny Rotten (1996)

  • “O Sex Pistols nunca terminou propriamente, simplesmente fracassou porque as pessoas não sabem o que é o verdadeiro.” Johnny Rotten (1996)
  • “Pode ser porque todos somos londrinos, mas os Sex Pistols não teriam existido sem esta velha e querida cidade de Londres” Johnny Rotten (2007)

 ” E não era apenas uma banda …eram pessoas gritando para que pudessem ser ouvidas, eram pessoas lutando por seus ideais, algo muito maior que uma simples banda…era uma revolução…uma luta por voz ! “

By : The Black Garden

 

John Lydon

Filed under: Rock Stars — theblackgarden @ 6:22 am

John Joseph Lydon

(31 de janeiro de 1956), também conhecido como “Johnny Rotten”, é um cantor, compositor e apresentador de televisão inglês mais conhecido como vocalista das bandas Sex Pistols e PiL. Uma figura muito controversa, sempre demonstrou desprezo pela família real britânica assim como por outros assuntos como a educação segregada. A Q Magazine publicou o comentário de que “de alguma forma Lydon assumiu o status de tesouro nacional.

 

Filho de imigrantes irlandeses de uma área pobre de Londres, a maneira pessoal de se vestir fez o empresário Malcom Mclaren o convidar para se tornar vocalista dos Sex Pistols. Com a banda escreveu músicas como “Anarchy in the UK”, “God save the queen” e “Holidays in the sun”, conteúdo que precipitou a última e melhor revolta popular de pandemônio moral na Inglaterra.

 

A banda causou um tumulto de âmbito nacional em grande parte da mídia, que objetava o conteúdo das letras e a forma bizarra de Lydon, que incluía falar palavrões ao vivo na televisão (nessa mesma ocasião Steve Jones, guitarrista da banda, chama o apresentador Bill Grundy de “fucking rotter”). Devido à exposição da banda na mídia, Lydon foi visto como o cabeça do movimento punk pelo público em geral, mas a ideia não foi largamente sustentada pelo movimento punk em si. Apesar da reação negativa que eles incitaram, a ocasião é considerada como um dos atos mais influentes na história da música popular.

 

Lydon deixou os Pistols em 1978 para fundar outra banda, o Public Image Ltd. (PiL), que era de natureza muito mais experimental, e que foi descrita defensavelmente como a primeira banda pós-rock. Nunca teve o mesmo sucesso comercial dos Sex Pistols, a banda produziu 8 discos e alguns singles, incluindo “Death disco”, “Rise” e “Disappointed”, seguidos pela interrupção indefinida em 1993.

Nos anos subsequentes, Lydon foi o anfitrião de alguns programas de televisão no Reino Unido, EUA e Bélgica, e também escreveu uma autobiografia intitulada “Rotten: No Irish, No Blacks, No Dogs” (1993). Além disso produziu algum trabalho musical solo como o disco “Psycho’s Path” (1997). Nos anos 2000, Lydon retomou seu lugar como vocalista dos Sex Pistols e do PiL em algumas turnês de reunião.

Biografia

Começo da vida: 1956-1974

 

De acordo com sua certidão de nascimento, feita dois anos depois de seu nascimento, John Lydon nasceu em Londres — algo que ele admitiu ter suas dúvidas — em 31 de janeiro de 1956. Seus pais, John Christopher Lydon e Eileen Lydon, eram imigrantes irlandeses de classe operária, e se mudaram para um apartamento de 1 quarto com banheiro na rua na Benwell Road, Finsbury Park, um área no norte da cidade. Naquele tempo, Finsbury Park era muito pobre, com altas taxas de criminalidade e população largamente composta por imigrantes da Irlanda e Jamaica, que sofriam de abuso racial e xingamentos das comunidades vizinhas de ingleses nativos. John passava suas férias de verão no Condado de Cork, Irlanda, na casa da família de sua mãe, onde ele era provocado por ter sotaque inglês, um preconceito que ele observa que sofre ainda hoje quando viaja com seu passaporte irlandês.

 

 

 

John é o primogênito de quatro irmãos, os outros são James, Robert e Martin. Mesmo quando criança, sendo o mais velho, John tinha que cuidar dos irmãos porque sua mãe ficava frequentemente doente, devido à vários abortos. Quando criança, viveu próximo a um estado industrial, e podia frequentemente brincar com amigos nas fábricas quando estavam fechadas. Pertenceu a uma gangue local de crianças da vizinhança, tendo às vezes se envolvido em brigas com outros grupos, algo de que ele lembraria mais tarde:

“hilários fiascos, nem todos como as facas e armas de hoje. A mesquinharia não era lá. Era mais mais como gritas, atirar pedras e sair correndo rindo. Talvez a realidade era colorida pela minha juventude.” Se descrevendo como uma criança muito tímida e reservada que era nervosa como o inferno, ele odiava ir para escola, onde ele recebia punições corporais e onde passou por alguns incidentes embaraçosos… “I would shit my pants and be too scared to ask the teacher to leave the class. I’d sit there in a pants load of poo all day long.”

Quando ele tinha sete anos contraiu meningite e foi hospitalizado por um ano no hospital St. Anne em Highgate. Pelo decorrer desta experiência ele sofria de alucinações, náusea e dores de cabeça. O tratamento administrado pelas enfermeiras envolvia retirar fluido de sua espinha com uma agulha cirúrgica, algo que o deixou com uma curvatura permanente na espinha, e a meningite foi responsável também a dar a ele o que mais tarde descreveria como o “Lydon’s stare” (traduzido livremente como “Olhar arregalado de Lydon”). Para ele, essa experiência foi o primeiro passo para a estrada da podridão (“the first step that put me on the road to Rotten.”)

Sempre trabalhou com seu pai, Lydon conseguiu seu primeiro emprego aos 10 anos como despachante de minitáxi, algo que manteve por um ano enquanto a família estava com dificuldades financeiras. Ele não gostava de sua escola de secundário, a “Sir William of York Catholic School” em Islington, onde inicialmente foi intimidado, mas por volta dos 14 ou 15 anos de idade “quebrou a casca” e começou a brigar contra o que ele via como a natureza opressiva dos professores, por quem ele sentiu que instigava e encorajava as crianças a serem “anti-qualquer-um-que-não-saia-da-casca”. Complementando suas notas “Zero” seguidas ele teve um briga com seu pai que não gostava de seu cabelo comprido, e então, concordando em cortar, o adolescente não apenas cortou, mas num ato de rebeldia pintou de verde brilhoso. No crescer de sua adolescência, ele escutava na maioria bandas de rock como Hawkwind, Captain Beefheart, Alice Cooper e The Stooges — bandas que sua mãe também constumava gostar, um fato que de alguma maneira o deixava constrangido — assim como bandas mais mainstream como T. Rex e Gary Glitter.

Aos 15 anos, foi expulso da escola depois de uma briga com um professor, e subsequentemente foi para uma escola estadual, “Hackney and Kingsway Princeton College”, onde ficou amigo de John Simon Ritchie, que anos depois ficaria conhecido como “Sid Vicious”. Foi Lydon quem deu a ele o apelido, nomeando ele com o nome do hamster de seus pais. Lydon e Vicious começaram a invadir casas na saudável área de Hampstead com um grupo de hippies velhos e deixaram de se preocupar com a escola, que ficava muito longe de onde eles estavam morando.

Entretanto, começou a trabalhar em construções durante o verão, emprego no qual seu pai estava disposto a ajudar. Ele também conseguiu um emprego em uma escola infantil em Finsbury Park depois de ser recomendado para o trabalho por amigos. Foi aqui que ele ensinou carpintaria para algumas das crianças mais velhas, mas ele foi eventualmente despedido por causa de reclamações de alguns pais sobre alguém “estranho” com cabelo verde estar ensinando seus filhos.

Lydon e seus amigos, incluindo Sid, John Gray, Jah Wobble, Dave Crowe e Tony Purcell começarama a frequentar alguns clubes noturnos de Londres, como o “Lacey Lady” em Ilford, assim como clubes de reggae que primeiramente era divertimento somente para a comunidade negra, e clubes gays, que eram lugares, de acordo com Lydon, onde você poderia ser você mesmo, ninguém incomodaria você, e eles sempre tinham os melhores discos.

 

1975-1978: Sex Pistols e o movimento punk

 

Em 1975, Lydon estava entre um grupo de adolescentes que geralmente vadiavam na sex shop de Malcom Mclaren e Vivienne Westwood chamada SEX. Mclaren retornou de uma breve viagem com a banda americana New York Dolls, e estava trabalhando para promover uma nova banda formada por Steve Jones, glen Matlock e Paul Cook chamada Sex Pistols. Mclaren ficou impressionado com o visual esfarrapado de John, particularmente seus cabelos cor de laranja e sua camiseta modificada do Pink Floyd (com os olhos dos integrantes recortados e as palavras “I hate”(br. eu odeio) escritas com caneta hidrográfica acima do logo da banda). Depois de cantar desafinado a música “I’m Eighteen” de Alice Cooper acompanhando o jukebox da loja, Lydon foi escolhido como o frontman da banda.

 

Em 1977, a banda lançou “God Save the Queen” durante a semana do jubileu de prata da rainha do Reino Unido Elizabeth II.

Lydon tinha interesse em dub music. Mclaren disse que tinha ficado chateado quando Lydon revelou durante uma entrevista de rádio que suas influências incluiam rock progressivo, rock experimental como Magma, Can, Captain Beefheart e Van der Graaf Generator.

Atritos entre Lydon e o baixista Glen Matlock cresceram. As razões para isso são disputadas, mas Lydon diz em sua autobiografia que ele acreditava que Glen era muito colarinho branco e classe média e que Glen gostava de coisas “legais” como os Beatles. Glen diz em sua autobiografia que a maioria das discussões na banda, e entre ele mesmo e Lydon, era orquestradas por Mclaren. Glen saiu da banda, e como substituto, Lydon recomendou seu amigo de escola Sid Vicious. Apesar de Sid ser um músico incompetente, Mclaren concordou que ele tinha o visual que a banda queria: magrelo, pálido, com cabelo espetado, com roupas esfarrapadas e um sarcasmo perpétuo.

A relação caótica de Sid com a namorada e Nancy Spungen, e sua piora no vício em heroína, causaram um grande atrito entre os integrantes da banda, particularmente com Lydon que fazia comentários sarcasticos que exacerbaram a situação. Lydon encerrou a era-Sid Vicious no show em Winterland, São Francisco, datado em janeiro de 1978 com uma retórica pergunta ao público: “Ever get the feeling you’ve been cheated?, traduzido livremente como: “Já tiveram a sensação de serem traídos?”, pouco tempo depois, MClaren, Steve e Paul foram para o Brasil para conhecer e gravar um disco com o famoso ladrão de trem Ronald Biggs. Lydon recusou ir junto, zombando do conceito e sentindo que eles queriam fazer um herói de um criminoso que atacou maquinista e roubou dinheiro da classe operária.

A desintegração dos Sex Pistols foi documentada no documentário satírico e pseudo-biográfico de Julien Temple, “The Great Rock ‘n’ Roll Swindle”, no qual Steve, Paul e Sid eram um personagem. Glen apareceu somente em uma gravação prévia ao vivo e como uma animação e não participou pessoalmente. Lydon recusou ter qualquer coisa a ver com o “The Great Rock ‘n’ Roll Swindle”, sentindo que Mclaren tinha controle demais sobre o projeto. Apesar de ser muito criticado no filme, muitos anos depois ele concordou que Julien Temple dirigisse outro documentário, “The Filth and the Fury” (br: O lixo e a fúria) (2000). Esse documentário inclui novas entrevistas com os membros da banda escondidos em sombras, como se estivessem no programa de proteção de testemunhas. Em um ponto retrata uma emoção não característica de Lydon que perde a fala ao falar sobre a decadência e morte de Sid.

1978-1993: Public Image Limited, Time Zone e “Copkiller”

 

Em 1978, John fundou o PiL, que durou 14 anos com Lydon sendo o único membro permanente. A banda teve alguma aclamação crítica por seu álbum de 1979 “Metal Box”, também conhecido como “Second Edition”, e influenciou várias bandas do que viria a ser conhecido mais tarde como movimento de rock industrial. A banda foi louvada por sua inovação e rejeição por formas tradicionais de música. Red Hot Chili Peppers e Massive Attack citam o PiL como influência.

A primeira formação da banda incluía o baixista Jah Wobble e o guitarrista fundador do The Clash, Keith Levene. Eles lançaram os álbuns “Public Image” (também conhecido como “First Issue”), “Metal Box, e “Paris in the Spring” (ao vivo). Jah Wobble saiu da banda e Lydon e Levene gravaram “The Flowers of Romance”.

Depois veio “This is what you want… This is what you get” com a participação de Martin Atkins na bateria (ele também participou de “Metal Box” e “Flowers of Romance”), esse disco inclui seu maior sucesso, “This is not a love song”, que alcançou a quinto lugar nas paradas em 1983.

Em 1983, Lydon co-estrelou com Harvey Keitel no filme Copkiller (br: A ordem é matar). Enquanto o filme mostrou resultados, Lydon recebeu elogios por seu papel de garoto rico psicótico. Lydon iria atuar novamente muito ocasionalmente depois disso, como com um papel muito pequeno no filme de 2000, The Independent, e como o anfitrião do filme de skate, “Sorry” apresentando o Flip Skate Team.

Em 1984, Lydon trabalhou com a banda Time Zone no seu mais conhecido single, “World Destruction”. Uma colaboração entre John, Afrika Bambaataa e o produtor/baixista Bill Laswell, o single foi um exemplo antigo de rap rock, junto com Run-DMC. A música aparece na coletânea de 1997 de Afrika Bambaataa, “Zulu Groove”. John declarou em uma entrevista que a gravação foi muito rápida, que eles entraram em uma sala, colocaram uma batida de bateria em uma máquina e quatro horas e meia depois a “coisa toda” estava pronta.

O single também contava com participação de Bernie Worrell, Nicky Skopelitis e Aïyb Dieng. Todos eles mais tarde tocariam nas gravações do disco “Album” do PiL, inclusive Bill Laswell tocou baixo e produziu o disco. “Album” foi lançado em 1986 (também conhecido como “Compact disc” e “Cassete”). A maioria das faixas foi escrita por John e Bill Laswell. A banda era formada por músicos de estúdio incluindo o baixista Jonas Hellborg, o guitarrista Steve Vai e o baterista do Cream, Ginger Baker. Como o disco anterior, este também trouxe um hit, o hino antiapartheid “Rise”.

A apresentação da banda no programa de tv “American Bandstand” mostrou Lydon desprezando as dublagens e dançando com o membros da plateia.

Em 1987 uma nova formação consistia em Lydon, o guitarrista John McGeouch ex-integrante das bandas Magazine, Siouxsie & The Banshees e The Armoury Show, Alan Dias no baixo e na bateriaBruce Smith e Lu Edmunds. Essa formação lançou “Happy?” e todos exceto Lu Edmunds lançaram o disco “9” em 1989.

Em 1992, Curt Bisquera e Gregg Arreguin se juntaram à banda, tocando bateria e guitarra, respectivamente, para o álbum “That what is not”. Esse álbum também contava com a participação de Tower of Power em duas músicas e Jimmie Wood na harmônica. Nessa época a banda escreveu a música “Criminal” para o filme “Point Break”.

Em 1993, Lydon decidiu dar um intervalo indefinido ao PiL. Voltaram somente em 2009 com uma turnê pelo Reino unido, começando com um show em 15 de dezembro, na 02 Academy emBirmingham. A data coincide com o aniversário de 30 anos do lançamento do disco “Metal Box”. Em 2010, começaram uma turnê pela Europa em julho.

 

 

1993-2006: Disco solo, autobiografia e status de celebridade

 

Em 1993, a primeira autobiografia de John, “Rotten: No Irish, No Blacks, No Dogs”, foi publicada. Com o auxílio de Keith e Kent Zimmerman, e com contribuições de pessoas incluindo Paul Cook,Chrissie Hynde, Billy Idol e Don Letts. O livro cobre sua vida até o fim dos Sex Pistols. Descrevendo o livro, ele disse que é o mais perto da verdade que qualquer um pode chegar, lembrando dos fatos do passado, todas as pessoas no livro estavam lá realmente, e esse livro é muito mais um ponto de vista delas do que meu. Em dezembro de 2005, Lydon disse à Q que ele estava trabalhando em uma segunda autobiografia para cobrir os anos de PiL.

No meio dos anos 90, Lydon apresentou o “Rotten Day”, uma peça dramática de rádio diária escrita por George Gimarc. O formato do programa era como uma recordação de eventos na música popular e cultura ocorridos no dia da transmissão, aos quais Lydon fazia comentários cínicos.

Em 1997, John lançou o disco solo “Psycho’s Path” pela Virgin Records, ele escreveu todas as músicas e tocou todos os instrumentos. Em uma das músicas, “Sun”, ele canta os vocais por um rolo de papel higiênico. O disco não teve boas vendagens e teve reviews variados pela crítica. A versão americana inclui um remix de Letfield da música “Open up”, dos Chemical Brothers com os vocais de Lydon. Essa música pode ser ouvida durante o menu principal do jogo de computador “All Star Baseball 2000” (Acclaim Enterteinment). A música também virou hit em clubes nos EUA e naInglaterra. Lydon gravou um segundo disco solo, mas não foi lançado. Apenas uma música do disco foi lançada no “The Best of British £1 Notes”.

Em novembro de 1997, John apareceu em Judge Judy brigando em um processo contra seu baterista Robert Williams por quebra de contrato, ataque e agressão física. Lydon ganha o caso, apesar de a juíza Judith Sheindlin não ter ficado muito impressionada com o jeito bizarro de Lydon e ter mandado ele ficar em silêncio algumas vezes.

Em 2000, John apresentou o programa “Rotten TV” pelo canal VH1. O programa oferecia seus comentários ásperos sobre a política americana e cultura pop. Em uma das apresentações ele zombou de Neil Young por não ter aparecido no programa, debochando da maneira de cantar de Neil Young e apontando que Young certa vez o proclamou como “O Rei” na música “Hey Hey, My My”.

Em 2003 apareceu como participante de uma mesa redonda em um episódio do programa “Belzer Connection” (Richard Belzer) sobre teoria da conspiração. O episódio colocou em questão de a conspiração estar envolvida na morte da Princesa Diana. Lydon colocou como seu ponto de vista de que se a família real britânica quisesse assassinar alguém, eles já teriam se livrado dele há muito tempo.

 

 

Em janeiro de 2004, John apareceu no reality show “I’m a celebrity… Get me out of here!” feito na Austrália. Ele provou que ainda possui a capacidade de chocar, chamando os espectadores do programa de “fucking cunts” durante as transmissões ao vivo. A reguladora de televisão e o canal que reproduzia o programa, a ITV receberam 91 reclamações sobre o linguajar de John.

Em fevereiro de 2004, em entrevista com o jornal escocês “Sunday Mirror”, John disse que ele e sua esposa, “deveriam estar mortos”, desde 21 de dezembro de 1988, graças ao atraso de sua mulher ao fazer as malas, eles perderam o acidente do voo Pan AM (Pan AM Flight 103). Durante essa entrevista, John disse que a real razão por ter saído do reality show, foi ter medo pelo incidente com o Pan AM e a apavorante recusa dos criadores do programa de dizerem se sua mulher tinha chegado em segurança à Austrália. Em uma entrevista prévia ao primeiro episódio do programa, ele descreveu como “idiota”, e durante o programa ele mostrou uma atitude de indiferença em continuar e ameaçou sair para rua em inúmeras ocasiões. Trinta horas seguidas após a saída da ex-estrela de futebol americano, Neil Ruddock, John saiu do programa por razões indefinidas, apesar de estar visivelmente furioso com a atriz Katie Price. Os jornais britânicos alegaram que Lydon venceu uma aposta de £100 com Ruddock para ver quem continuava por mais tempo no programa. Lydon, por sua vez disse à imprensa que ele sentiu que iria vencer o programa de qualquer maneira e seria injusto às outras celebridades o fato de ele vencer.

Depois do reality show, ele apresentou um documentário sobre insetos e aranhas chamado “John Lydon’s Megabugs” que foi exibido no Discovery Channel. “Radio Times” descreveu ele como mais entusiasta do que expert. Ainda veio a apresentar outros dois programas: “John Lydon Goes Ape” no qual ele procurava gorilas na África Central, e “John Lydon’s Shark Attack” no qual ele nadou com tubarões na África do Sul.

Em 2005, ele apareceu em “Reynebeau & Rotten”, um documentário de cinco episódios no canal Canvas, no qual guiava o jornalista Marc Reynebeau pela grã-bretanha em um chauffeured (modelo de carro Rolls-Royce), indo a lugares tipicamente britânicos. Quando perguntado por que ele havia sido escolhido como guia, John respondeu que ele era o mais barato disponível. Depois de o programa ter ido ao ar, John clamou em uma entrevista de uma popular revista belga (HUMO), que ele estava muito insatisfeito com a maneira com que fizeram a pós-produção e estava furioso com a maneira com que eles o representaram no programa. Ele disse que os criadores mostraram principalmente seu humor e palhaçadas, ao invés de focar nas suas opiniões pessoais e discussões filosóficas que ele teve com Marc Reynebeau. Ficou mais furioso ainda pela companhia de produção ter usado músicas do catálogo do Sex Pistols sem consultar todos os membros remanescentes da banda, inclusive ele próprio.

No final de 2008, John apareceu em uma capanha publicitária para a Country Life, uma marca popular de manteiga, na televisão britânica. John foi fortemente zombado como vendido por esse ato. John se defendeu dizendo que participou da campanha declarando que a principal razão pela qual aceitou a oferta foi para levantar fundos para reformar o Public Image Ltd. sem um contrato com gravadora. A campanha se mostrou muito bem sucedida, com vendas acima da média atingindo 85% no trimestre seguinte, ao que muitos na mídia atribuíram à presença de John.

2006-2009: Sex Pistols revival

 

Apesar de John passar anos negando furiosamente que o Sex Pistols tornariam a tocar juntos, a banda se reuniu (com Glen Matlock no baixo) nos anos 90, e continua se apresentando ocasionalmente. Em 2004, John recusou que a gravadora Rhino Entertainment incluísse qualquer música dos Sex Pistols no box set No Thanks!:The 70’s Punk Rebellion. Em 2006, o Rock and Roll Hall of Fame indicou o Sex Pistols, mas a banda se recusou a ir à cerimônia ou reconhecer a indicação, reclamando que foi pedido a eles uma grande soma de dinheiro para comparecer. e declarando que isso ia contra tudo que a banda representa.

Em junho de 2007, John, Steve e Paul regravaram “Preety Vacant” em um estúdio em Los Angeles para o video game “Skate”. Também regravaram “Anarchy in the UK” para o vídeo game “Guitar Hero III: Legends of Rock”. Em setembro de 2007, Lydon anunciou que os Sex Pistols iriam fazer um show para celebrar os 30 anos de “Nevermind the Bollocks” na Brixton Academy em Londres dia 8 de novembro. Devido à grande demanda, foram marcados mais 4 shows extra, assim como outros shows em Manchester e Glasgow.

Os Sex Pistols se apresentaram no festival Isle of Wight em 2008 como banda principal na noite de sábado. Também participaram no mesmo ano dos festivais: Peace and Love na Suécia, Electric Picnic na Irlanda, Live at Loch Lomond na Escócia, Heineken e Open’er Festival na Polônia, Paredes de Couraem Portugal, Traffic Free Festival na Itália e Exit Festival na Sérvia.

2009 – Reforma do PiL

Em setembro de 2009 foi anunciado que o PiL seria reformado, incluindo membros antigos como Bruce Smith e Lu Edmonds, para um número de shows de Natal no Reino Unido. Lydon financiou a reunião usando dinheiro que ganhou fazendo propagandas de televisão para uma marca de margarina. “O dinheiro que ganhei daquilo agora se foi completamente na reforma do PiL”, disse Lydon.

Vida pessoal

John é casado com Nora Forster, uma publicitária da Alemanha. Ele é padrasto da filha de Forster, Ari Up, que foi a cantora de uma influente banda pós-punk chamada The Slits. Mora atualmente em Los Angeles, Califórnia. Seus pais o criaram sob a religião católica, e levavam ele e seus irmãos à missa, mas ele diz que nunca teve qualquer adoração por epifanías ou pensou que Deus tem algo a ver com a ocorrência sombria chamada vida. Garante que manterá suas crenças ateístas para o resto da vida.

Desde que deixou os Sex Pistols ele fez sua fortuna através do desenvolvimento de propriedades.

Lydon é fã de Oscar Wilde desde que estudou sobre ele na escola, diz que ele era brilhante, que foi uma grande atitude se tornar o maior homossexual na Terra em um tempo em que isso era completamente inaceitável. “His stuff was fucking brilliant. What an attitude to life!… He turned out to be the biggest poof on earth at a time when that was completely unacceptable. What a genius.

fonte : http://pt.wikipedia.org/wiki/John_Lydon

 

 

By : The Black Garden

 

Avenged Sevenfold dezembro 16, 2011

Filed under: Avenged Sevenfold — theblackgarden @ 1:43 am

Avenged Sevenfold também conhecido como A7X é uma banda norte-americana de metal formada em 1999 na cidade de Huntington Beach, naCalifórnia.

Tem como membros :

 

M. Shadows

” Quer saber mais sobre o Shadows ? Então clique no nome dele e você irá para uma matéria que o The black Garden fez sobre ele !!! “

 

 

 

 

 

 

 

Synyster Gates

 

” Quer saber mais sobre o Synyster ? Então clique no nome dele e você irá para uma matéria que o The black Garden fez sobre ele !!! “

The Rev

” Foda-se se o The Rev não está mais entre nós, ele será o eterno baterista do Avenged ! Se quiser saber mais sobre ele, clique no nome dele e você irá para a matéria que o The Black Garden fez sobre ele !!! “

 

Zacky Vengeance

 

Zachary James Baker (nascido em 11 de dezembro de 1981) mais conhecido pelo seu nome artístico Zacky Vengeance, é o guitarrista base da banda de Metal Alternativo estadunidense Avenged Sevenfold.

No colegial Zacky estudou no colégio Huntington Beach High School. Zacky fez seu próprio nome artístico “Zacky Vengeance”, porque ele queria se vingar de todas as pessoas que duvidaram de seu sucesso e não o apoiaram. Ele também criou o nome artístico de seu coléga de palco “Johnny Christ”, pois achou que era ideal para ele. No DVD All Excess do A7X, ele lembra que, antes de Avenged Sevenfold, ele estava em uma banda punk chamada MPA *, que significa Mad Porno Action. Ele explica que não foram bem sucedidos. Ele e M. Shadows (que na época era vocalista de uma banda chamada Successful Failure) formaram o Avenged Sevenfold. Ele aprendeu sozinho a tocar guitarra quando tinha treze anos. Zacky também foi responsável pela criação da sigla “A7X”

 

 

Johnny Christ

Johnny Christ (nome de nascimento Jonathan Lewis Seward) nasceu em 18 de novembro de 1984 em Huntington Beach, Orange County, no estado da Califórnia e é o atual baixista da banda de Metal Alternativo Avenged Sevenfold.

Ele é o quarto baixista do Avenged Sevenfold, na sequência dos anteriores integrantes Dameon Ash e Justin Meacham. Ele saiu da Marina High School antes de completar o colegial para sair de turnê com a banda. Sua primeira gravação foi no segundo cd da banda “Waking the Fallen”.

 

 

 A banda chegou ao mainstream com o álbum City of Evil de 2005, que inclui singles como “Burn It Down”, “Bat Country”, “Beast and the Harlot” e “Seize The Day”. O sucesso da banda continuou com seu álbum homônimo, que inclui singles como “Critical Acclaim”, “Almost Easy”, “Afterlife”, “Scream” e “Dear God”.

O Avenged Sevenfold começou tocando metalcore em seus dois primeiros álbuns mas após alguns anos a banda mudou seu estilo musical no álbumCity Of Evil e hoje é considerada uma das melhores bandas de metal da década  assim como seus álbuns , chegando até ter o City Of Evil como um dos melhores álbuns do século.

O novo álbum se chama “Nightmare” foi lançado no dia 27 de julho de 2010. O álbum contou com Mike Portnoy, ex-baterista do Dream Theater, por ser o maior ídolo de The Rev. Portnoy regravou as linhas de bateria do Nightmare com base em demos originalmente gravadas por Rev, além de participar das apresentações ao vivo. No dia 16 de Dezembro de 2010 Mike Portnoy deixa o Avenged Sevenfold.

Biografia

O Início (1999 – 2004)

A banda foi formada por M.Shadows e Zacky Vengeance. Eles eram amigos e estudavam na mesma escola e suas bandas anteriores, Successful Failure e Mad Action respectivamente não tinha dado certo. Logo convidaram The Rev e Matt Wendt para completar a formação de sua nova banda.  O Avenged Sevenfold (também conhecido como A7X) usa nomes artísticos pois estes nomes definem bem o que eles se transformam ao vivo. Durante os anos de 1999 2000, inúmeras demos foram gravadas como The Art Of Subconscious Illusion e We Come Out At Night. O primeiro álbum do Avenged Sevenfold,Sounding the Seventh Trumpet foi gravado quando os integrantes tinham apenas dezoito anos em 2000 e originalmente foi lançado pela sua primeira gravadora, Good Life Recordings em 2001.

 

 

Sendo que a música Streets foi escrita por M.Shadows e a banda da qual ele participou antes do Avenged Sevenfold, a Successful Failure. Após o guitarrista solo, Synyster Gates ter se juntado à banda, a faixa To End the Rapture foi regravada com Gates tocando e o álbum foi relançado pela Hopeless Records em 2002. Nessa época fizeram vários shows importantes, com bandas como Shadows Fall e Mushroomhead e tocaram na Take Action Tour. Após isso, Johnny Christ se juntou à banda substituindo Justin Sane, sendo o seu quarto baixista e lançaram o álbum seguinteWaking The Fallen pela Hopeless Records em agosto de 2003. Este disco teve um bom reconhecimento pela revista Rolling Stone  e pela Billboard e é considerado um dos melhores álbuns de metalcore da história, além de ter vendido três mil cópias na primeira semana de lançamento. Ganharam ainda mais reconhecimento tocando na famosa turnê, Vans Warped Tour de 2003.

 

Em 2004 voltaram a tocar na Warped Tour  e com o contrato para assinar com a Warner Bros. Records, o Avenged Sevenfold decidiu lançar o clipe de Unholy Confessions no mesmo ano, com intuito de promover a banda para trabalhos futuros. Este clipe foi destaque na MTV2’s Headbanger’s Ball.

City Of Evil (2005 – 2006)

 

Após algum tempo, o Avenged Sevenfold assinou contrato definitivo com a Warner Bros. Records. City of Evil, o terceiro álbum da banda foi lançado em 7 de Junho de 2005, já pela Warner e os levou ao mainstream do rock mundial com singles como Bat Country e Seize The Day e vendeu 30.000 cópias em sua primeira semana de lançamento. O sucesso da banda também foi impulsionado por músicas como Blinded In Chains e Chapter Four presentes em jogos assim como Beast and the Harlot no famoso jogo Guitar Hero. A música Betrayed foi dedicada ao Dimebag Darrel, ex-guitarrista do Pantera e a música M.I.A. foi escrita após o vocalista M.Shadows falar com seus amigos que estavam lutando na guerra do Iraque. No City Of Evil, o vocalista M.Shadows deixou os vocais gritados de lado e alguns boatos diziam que M.Shadows não poderia mais gritar, mas segundo ele isso é mentira, confirmando-se isso nas declarações de Mudrock, produtor do segundo e do terceiro álbum do Avenged Sevenfold no DVD All Excess.

 

Mesmo após alguns danos em suas cordas vocais em decorrência dos muitos gritos e da cirurgia para corrigir alguns problemas em 2004, M.Shadows afirma que ainda pode gritar, até melhor que antes. Matt trabalhou com Ron Anderson para melhorar a voz e aprender novas técnicas, profissional que já trabalhou com Axl Rose e Chris Cornell.

 

Em janeiro de 2006, o City Of Evil ganhou o disco de ouro em decorrência dos singles Burn It Down e Bat Country, ambos lançados em 2005. Em 6 de fevereirode 2006 lançaram o clipe de Beast and the Harlot e pouco depois, o clipe de Seize The Day que levou a banda a alcançar o topo de muitas paradas mundiais. O riff da música Beast And the Harlot foi eleito um dos melhores riffs da história pela revista Total Guitar naquele ano. O A7X completou sua primeira turnê mundial em 2006 passando por diversos lugares indo dos Estados Unidos e Europa até Japão, Austrália e Nova Zelândia.

 

 

Também se apresentaram no Ozzfest  ao lado de bandas como Dragonforce, Disturbed, System of a Down e fizeram turnê com Metallica e Guns N’ Roses. O A7X ganhou o prêmio de Melhor Novo Artista no MTV Music Awards com o clipe de Bat Country, desbancando artistas como Panic! At The Disco, Rihanna e Chris Brown. O disco City Of Evil ficou entre os cem melhores álbuns com guitarras da história, eleito pela revista Guitar World Magazine em outubro de 2006, ocupando a posição de número 63.

O A7X voltou à Warped Tour, dessa vez como atração principal e continuou sua própria turnê, a Cities Of Evil Tour. O álbum City Of Evil vendeu um milhão de cópias até os dias atuais.

Avenged Sevenfold (2007 – 2008)

 

Após cancelar alguns shows, inclusive na Inglaterra com a banda Bleeding Through, o A7X anunciou que estava planejando seu quarto álbum, o Avenged SevenfoldMatt Shadows em entrevista afirmou que não queriam fazer um Waking The Fallen Parte 2 ou um City Of Evil Parte 2, queriam fazer um álbum diferente, que os antigos fãs gostassem e que pudesse ainda conquistar milhares de novos fãs. Antes do novo álbum, foi lançado o DVD All Excess no dia 17 de Julho de 2007. Fizeram shows em Cingapura, onde a música Almost Easy foi tocada pela primeira vez na SingFest 2007, na Indonésia e no Japão, suas primeiras datas em 2007. O Self-Titled foi lançado no dia 30 de Outubro de 2007 e foi um sucesso imediato, vendendo 94.000 cópias em apenas uma semana de lançamento. Lançaram dois singles naquele ano, Critical Acclaim e Almost Easy. Lançaram ainda o clipe da canção Almost Easy e uma versão ao vivo da mesma.

 

Em 2008, a banda começou com chave de ouro anunciando sua participação na turnê Taste Of Chaos 2008 como atração principal e ao lado de bandas como Bullet For My Valentine, Atreyu e Blessthefal Além disso, o Avenged Sevenfold lançou A Little Piece Of Heaven como clipe em janeiro e lançaram pela primeira vez uma b-side (música que não está em nenhum álbum); Crossroads foi lançada no dia 17 de Janeiro de 2008 e que mais tarde foi re-lançada no álbum Diamonds In The Rough.

 

A música Afterlife se tornou o terceiro clipe do álbum Avenged Sevenfold saindo oficialmente no dia 4 de fevereiro de 2008 e conquistando milhões de novos fãs, abrindo uma nova era para a banda. Afterlife é hoje um dos maiores singles do A7X, ficando no Top de dezenas de paradas como Billboard e sendo sucesso na MTV. O Avenged Sevenfold passou pela primeira vez na América do Sul, indo ao Chile e vindo ao Brasil no dia 29 de maio de 2008. Também foram pela primeira vez ao México e também a Portugal no Super Bock Super Rock no dia 9 de Julho de 2008 sendo uma das paradas da turnê que fizeram com o Iron Maiden na Somewhere Back In Time Tour entre junho e julho de 2008. O álbum homônimo vendeu mais de quinhentos mil exemplares até hoje.

 

Live in the LBC & Diamonds in the Rough (2008 – 2009)

 

No dia 16 de setembro de 2008 foi lançado o DVD Live In The LBC e o CD Diamonds in the Rough. O “pacote” vendeu vinte mil cópias em sua primeira semana de lançamento e até hoje foram vendidas mais de cem mil cópias. Além disso, ganharam o prêmio de Álbum do Ano da revista Kerrang. Dear God, o quarto clipe do disco Avenged Sevenfold foi lançado no dia 28 de outubro de 2008.

 

Uma parte da turnê Fall Tour com a banda Buckcherry foi cancelada devido á fadiga vocal do vocalista M.Shadows. A turnê voltou no dia 15 de Outubro de 2008 em Osaka no Japão, onde o A7X se apresentou com diversas bandas importantes como Slipknot, Bullet For My Valentine e Machine Head. Na passagem do Avenged Sevenfold por Cingapura, eles tocaram uma música nova apenas para se divertir, no estilo Reggae e com influências de músicas da região. A música não tem nome oficial. O Avenged Sevenfold ganhou outras votações na Kerrang! Readers Poll onde os leitores da revista escolheram o A7X como melhor banda e melhor banda ao vivo de 2008, além de Synyster Gates ter ganho como homem mais sexy do ano. O Avenged Sevenfold apareceu nos agradecimentos de Axl Rose, no álbum Chinese Democracy.

Em entrevista para a Popular Underground Magazine, Synyster Gates praticamente descartou a volta dos vocais rasgados na banda dizendo, “Você avança e eu não penso que nós realmente fomos ruins, mas bem perto e estamos melhorando e melhorando. Isso é tudo que eu quero como músico, compositor e performer. Só quero melhorar e minha ideia de melhor talvez não seja a mesma ideia de melhor de um fã…”, quando questionado inúmeras vezes por fãs que pediam a volta dos vocais gritados.

 

 

M.Shadows teve paralisia facial num show em Baltimore no dia 9 de Dezembro durante a Fall Tour. O problema foi na articulação temporomandibular causado por fazer muitos shows e cantar excessivamente, fazendo com que a mandíbula saísse um pouco do lugar. Mas logo depois o problema foi resolvido. Scream foi anunciado como quinto single do Self-Titled e o clipe, feito por fãs, foi lançado no dia 16 de Dezembro de 2008.

Em 2009, M.Shadows se casou definitivamente com Valary DiBenedetto, namorada de Matt desde a escola.

Em vários shows ele comentou sobre o casamento, transparecendo uma grande felicidade por finalmente estar casado. Em 16 de Abril de 2009 eles tocaram It’s So Easy da banda Guns N’ Roses ao vivo no Nokia Theater em Los Angeles com Slash. O Avenged Sevenfold completou uma turnê pelos Estados Unidos junto com as bandas Buckcherry, Papa Roach e Saving Abel e em 28 de junho de 2009 foi eleito entre os cem melhores clipes da história pela Kerrang!, com Bat Country em 11º e Seize The Day em 12º lugar.

Em meados de 2009, fez alguns shows novamente com o Metallica, dessa vez no México. Em 1 de julho de 2009 a música Beast and the Harlot recebeu dois prêmios do Guitar Hero: Smash Hits como Melhor Grito e Música do Ano. Em 2009 o Live in the LBC & Diamonds in the Rough tornou-se disco de platina, o que representa cem mil discos vendidos.

 

O disco City Of Evil foi eleito em 27º lugar na lista dos cinquenta maiores álbuns do século XXI pela Kerrang! Magazine em agosto. Além disso, os álbuns Waking The Fallen e City Of Evil foram eleitos pela Hit Parader entre os melhores álbuns da década em 37º e 4º lugar respectivamente. A banda completou a turnê do álbum Avenged Sevenfold se apresentando em 1 de agosto de 2009 no Sonisphere Festival.

A Morte de The Rev (2009)

Em 28 de dezembro de 2009, o baterista The Reverend foi encontrado morto em sua casa aos 28 anos. A polícia foi avisada por bombeiros e chegaram na casa por volta das 13 horas. A banda postou uma nota no site oficial confirmando a morte de The Reverend :

“É com uma enorme tristeza e corações pesados que nós falamos pra vocês sobre o falecimento do Jimmy “The Rev” Sullivan hoje. Jimmy não foi somente um dos melhores bateristas do mundo, como mais importante, ele foi nosso melhor amigo e irmão. Nossos pensamentos e rezas vão pra familia do Jimmy, e esperamos que vocês vão respeitar a privacidade deles durante esse momento difícil. Jimmy, você está pra sempre em nossos corações. Nós te amamos”.

A autópsia feita logo após sua morte se mostrou inconclusiva e os peritos pediram testes toxicológicos e testes de laboratório para encontrar a causa da morte. Entretanto, os resultados podem levar semanas.

No dia 5 de Janeiro de 2010, um funeral particular foi feito para The Rev e no dia seguinte 6 de Janeiro, seu corpo foi cremado. Syn Gates fez homenagens a ele, e aos seus pais.

Mais de 50 artistas falaram sobre a morte de Sullivan  e na edição da revista Kerrang! de 13 de janeiro de 2010, fãs e artistas falaram sobre The Rev em um artigo. Simultaneamente, Zacky Vengeance postou uma nota sobre o falecimento de Jimmy em seu twitter:

” Jimmy estará sempre comigo em tudo que faço. Exceto estar em casa triste, então hoje vou tentar começar a viver novamente. “

 

Após um mês da morte de Jimmy “The Rev” Sullivan, seus pais concederam uma entrevista ao Huntington Beach Independent. Seus pais confirmam que The Rev deixou algumas músicas prontas e demos. Também confirmam que até o momento, os resultados da perícia ainda não foram divulgados e que Jimmy faleceu dormindo. “Nós amamos o que os fãs tem dito. Eles estão realmente nos ensinando coisas sobre Jimmy, com suas palavras e histórias. Esses jovens, pelo mundo todo, são uma verdadeira comunidade, e nós apreciamos seus bons pensamentos. Também, gostaríamos que os fâs soubessem o quanto nós amamos os caras da banda. Essa irmandade que eles tinham, deram a Jimmy um lugar para ele ser ele mesmo, para criar, para ser o The Rev.” disse Joe Sullivan, pai de The Rev.

Após quase 6 meses da morte de The Reverend, em 9 de junho de 2010, os resultados da necrópsia vieram ao público e foi constatado que Jimmy morreu por uma overdose acidental de drogas prescritas e álcool. Relatórios toxicológicos indicam que Sullivan sofreu “intoxicação aguda por múltiplas drogas, devido aos efeitos combinados de oxicodona, oximorfona, Diazepam/nordiazepam e etanol. Sullivan tinha cardiomegalia (um coração mais dilatado), que foi marcado no relatório judicial como “condição significativa” que pode ter desempenhado um papel na morte do baterista. Foram realizados “cinco ou seis” diferentes testes para verificar a causa da morte.

 

 

Nightmare (2010)

 

O novo álbum da banda chamado Nightmare, já tem suas composições prontas. Em entrevista à revista Kerrang! de dezembro de 2009, M. Shadows disse que tem ao todo 13 músicas completas e que o novo álbum terá um estilo mais parecido com Metal Clássico.

 

Nós temos umas 20 ideias com 13 músicas completas. Agora, nós estamos escrevendo duas músicas por semana, trabalhando muito. Anteriormente nós colocamos 10 músicas, mas agora teremos muitos mais – serão provavelmente como o City Of Evil, 75 minutos. Até agora, soa como Metal Clássico; é old-school, thrash e mais pesado e com mais solos. Liricamente e musicalmente tem um sentimento conceitual. Estamos conversando para ver se cada faixa entrará em compasso com as outras por exemplo, fazer reprises e interludes pequenas coisas como essas. Estamos tentando fazer algo realmente divertido e legal. É um álbum obscuro. A música é emocional. Nosso objetivo é fazer cada parte ser memorável, queremos provocar reações ao vivo e escutando em casa. Terá grandes baladas, coisas muito divertidas, piano, coro, orquestra e muitas coisas visuais que vocês esperam mas com um humor diferente. Liricamente, estive inspirado por tudo desde como os jovens estão crescendo hoje em dia, até educação, economia, religião, guerra e o comportamento do nosso governo. Tudo se liga à como os jovens hoje em dia estão tão distantes do mundo real.

 

M.Shadows em nota oficial no site da banda confirmou o lançamento do novo álbum e falou sobre Jimmy mas não disse se a banda vai continuar após o lançamento do disco:

 

Eu não sei como começar isso ou por onde começar. Primeiro, eu gostaria de agradecer a todos os fãs pelo apoio dado em consequência da morte de Jimmy. Tem sido reconfortante ver seus fãs, nossos fãs, e todos em geral darem apoio. Jimmy era meu melhor amigo, e era o melhor amigo de várias outras pessoas, incluindo os membros do Avenged Sevenfold. Ele era de longe a pessoa mais admirável que eu já conheci. Eu dizia que o amava todos os dias. Ele exigia o seu amor e nunca ficava com medo de devolvê-lo. Eu tenho andado lado a lado com Jimmy, todo dia, pelos últimos 18 anos da minha vida. Eu não tenho memórias de antes de Jimmy e vai ser bem difícil seguir sem ele aqui. Ainda não parece real. Ele era meu melhor amigo, parceiro de composições, companheiro de banda, confidente, e, mais importante, ele era meu irmão. Uma coisa louca sobre Jimmy era que todo dia era uma história maluca. Nós compartilhamos nossas histórias favoritas sobre ele nas últimas duas semanas e nunca repetimos nenhuma. Esse cara era mágico. A expressão de arte da alma dele era diferente de tudo que o mundo já viu. A menos que você passe um dia com Jimmy, ou 18 anos, é impossível explicar, então não vou tentar. Ele inspirou pessoas de diversas maneiras. Não era apenas um baterista, ele sinceramente não ligava muito para o lado técnico da bateria, pois ele poderia tocar o que quisesse. Ele se dedicava todo a criar lindas canções, batidas originais e esperava tocar as pessoas com sua arte e sua mente. Ele dizia pra todos nós durante anos, incluindo seus pais, que ele sabia de duas coisas na vida: Queria ser um astro do rock e que não viveria após os 30 anos de idade. Ele estava certo nas duas coisas. Mas eu conheço o Jimmy e se ele soubesse quanta dor isso iria causar para quem ele deixou pra trás, ele teria feito qualquer coisa para ficar um pouco mais. Jimmy se doou tanto e, no fim das contas, estava na hora dele ir. Todos as razões para querer que ele ficasse são egoístas e eu sei que ele está em um lugar melhor que esse. De certa forma, estou feliz que meu amigo esteja em paz. Ele foi para o outro lado primeiro e eu não posso esperar para encontrá-lo novamente. Eu tenho tanto pra dizer, mas não consigo encontrar palavras então irei esperar até o tempo permitir que eu tenha uma maneira de me expressar. Quanto ao resto de nós, tornou-se claro o que precisamos fazer. Nós acabamos de escrever um álbum com o Jimmy. Não posso saber o que o futuro reserva, pois nesse momento é muito doloroso pensar sobre isso, mas nós sabemos que precisamos gravar e lançar esse disco em honra ao Jimmy, para o Jimmy. Ele me ligava todas as noites para falar das músicas e dizer “Isso vai mudar o mundo!”. Eu concordava com ele, mas, infelizmente, eu não sabia que mudaria desse modo. Por favor, seja paciente conosco pois não sabemos o quão difícil isso será de superar. Nós apenas sabemos que devemos fazer isso pelo seu legado. Depois disso, quem sabe? Mas eu sei que Jimmy vai nos ajudar a tomar essa decisão quando a hora chegar. Eu te amo Jimmy, e eu me sinto o cara mais sortudo do mundo por ter te conhecido e passado 18 anos da minha vida com você. Descanse em paz, meu amigo.

 

 

Após quase um mês da morte de The Reverend, M. Shadows e Zacky Vengeance fizeram sua primeira aparição pública. Os dois participaram de um jogo de golfe beneficente para ajudar entidades que fazem caridades. Em fevereiro de 2010, o álbum Avenged Sevenfold foi eleito um dos melhores álbuns da década pelo site Room Thirteen  e o A7X foi eleito uma das melhores bandas de Metal de 2009 no OC Music Awards.

O Avenged Sevenfold anunciou oficialmente que Mike Portnoy, até então baterista do Dream Theater gravaria as linhas de bateria para o novo álbum da banda. “Eu queria que nossos fãs soubessem que, com Jimmy em nossos corações, nossa jornada para gravar o disco novo oficialmente começou. Jimmy ajudou antes de deixar esse mundo, um presente maravilhoso, e agora é nosso trabalho ter certeza em entregar esse presente aos nossos fãs. Nós perguntamos ao baterista preferido do Jimmy, Mike Portnoy, para gravar em seu lugar. Mike disse que seria uma honra e sem dúvida era o que Jimmy queria. É confortante para nós que alguém como Mike, que é sem dúvida um dos melhores bateristas do mundo, sustentar tanto respeito e adoração pelas habilidades do Rev.”

 

 

Poucos dias depois, as gravações já estavam completas e para finalizar, Mike Portnoy disse que os fãs do Avenged Sevenfold são incríveis e tatuou o Deathbat em seu braço esquerdo, em homenagem ao The Rev e ao tempo que passou com o A7X. Synyster Gates, Zacky Vengeance, Johnny Christ e M.Shadows também fizeram tatuagens em homenagem a Jimmy.

Está confirmada uma nova turnê. O Avenged Sevenfold será atração principal da Energy Drink Rockstar Uproar Tour ao lado de Disturbed, Halestorm e Stone Sour. Também estarão nesta turnê, Hellyeah, Airbourne, Hail The Villain e New Medicine. A turnê terá 36 datas e começará dia 17 de agosto. Enquanto o A7X não tem um novo baterista fixo, Mike Portnoy será o baterista da turnê deste ano do Avenged Sevenfold.

Foram anunciados os primeiros singles do novo álbum, Nightmare. As músicas lançadas se chamam Nightmare e “Buried Alive”. O lançamento do single “Nightmare” nas rádios foi no dia 17 de Maio de 2010. No dia 18 ela foi disponibilizada para compra no iTunes.

O novo álbum, Nightmare,foi lançado no dia 27 de julho de 2010. A banda publicou recentemente o video clipe da música Nightmare. Atualmente, a banda encontra-se em turnê mundial. Mike Portnoy entretanto, permanecerá na banda apenas até o fim de 2010, segundo os empresários da banda. Nenhum novo baterista foi anunciado até então.

No dia 11 de outubro de 2010, o A7X se apresentou em solo brasileiro, sendo a sétima banda a passar pelos palcos do 3º dia do Festival de música SWU, realizado em Itu, São Paulo. Apesar da pequena duração do show (em torno de 1 hora), os fãs brasileiros presenciaram uma apresentação enérgica, com interações dos músicos com o público e a performance de músicas dos diferentes álbuns da banda, inclusive o recém lançado “Nightmare”.

 

Ao final do show, o vocalista M. Shadows e o baterista em turnê Mike Portnoy prometeram uma segunda apresentação no Brasil em breve. O setlist do show foi composto pelas músicas: Nightmare, Critical Acclaim, Welcome to the Family, Beast and the Harlot, Buried Alive, Afterlife, God Hates Us, Unholy Confessions e Almost Easy.

Em 16 de dezembro de 2010, via Facebook, Mike Portnoy anunciou que ele deixaria de estar trabalhando com o Avenged Sevenfold. A banda publicou um comunicado em seu site em 17 de dezembro de 2010 afirmando que Mike Portnoy não será o substituto para The Rev.

O albúm vendeu 500 mil copias nos EUA até fevereiro de 2011.

No dia 23 de Junho de 2011, o Avenged Sevenfold retornou a Portugal, para um concerto no Campo Pequeno, com a sala praticamente esgotada, e foi afirmado por M. Shadows como “o melhor público para quem ele já tocou”. Ainda em homenagem a The Rev o grupo lançou o video “So Far Away”

 

 

Novo baterista é anunciado (2011)

O Avenged Sevenfold anunciou em seu site oficial o novo baterista, Arin Ilejay, ex-Confide, que participará com a banda da turnê Nightmare After Christmas, que teve início em janeiro de 2011. “Recentemente pedimos a vários amigos que conheceram Jimmy e seu estilo, e que também conheciam nossa música e cada uma de nossas personalidades, que sugerissem bateristas para fazer turnê conosco começando esse ano. Nosso técnico de bateria em estúdio há muito tempo, Mike Fasano, indicou Arin Ilejay. Nós ensaiamos com Arin e nos impressionamos com sua habilidade técnica, atitude e ética de trabalho. Estamos muito animados para sair em turnê com Arin e esperamos que vocês dêem a ele boas vindas à família que temos. Obrigado pelo seu apoio sem fim. Significa tudo para nós. Vemos vocês na turnê Nightmare After Christmas.” No dia 21 de janeiro de 2011 aconteceu o primeiro show do ano do Avenged Sevenfold da Nightmare After Christmas Tour. Nessa ocasião, o Avenged Sevenfold tocou pela primeira vez a música Fiction – feita por The Rev apenas três dias antes de sua morte. Fiction inicialmente se chamava Death, mas M. Shadows trocou o nome da música em homenagem ao amigo, que possuía uma tatuagem que ia do peito até a barriga onde se lia “Fiction”. Eles usaram a voz de The Rev nos backing vocals, gravados no estúdio no momento da produção dos CDs da banda anteriores ao Nightmare, podendo assim voltar a tocar músicas como Afterlife, Critical Acclaim e A Little Piece Of Heaven, nas quais as partes em que The Rev cantava eram bastante extensas e indispensáveis.

Recentemente a banda gravou o single “Not Ready to Die”, para um DLC do jogo Call of Duty: Black Ops, chamado de Call of the Dead, já contando com Arin Ilejay na bateria.

 

Estilo

 

O Avenged Sevenfold é caracterizado como uma banda ligada ao heavy metal. Mas suas músicas apresentam os mais diversos e diferenciados tipos, percebendo-se isto especialmente no álbumAvenged Sevenfold. Por exemplo, em seu primeiro álbum que era metalcore podemos perceber a música Streets que tem uma sonoridade mais puxado para o estilo punk rock, a música To End The Rapture com características Heavy Metal e Warmness On The Soul em piano numa linha mais Soft Rock. Também em seu álbum homônimo, as músicas Dear God e o início de Gunslinger tem uma sonoridade countryA Little Piece Of Heaven no mesmo álbum apresenta elementos teatrais, num estilo diferente de qualquer outra música, usando orquestra e instrumentos pouco comuns no rock. O Avenged Sevenfold não se consideram com um estilo específico apesar de serem um dos maiores expoentes do New Wave of American Metal. Eles mudaram muito desde seu primeiro álbum, passando de uma música muito pesada para algo mais hard rock. O Avenged Sevenfold possui muitas influências diferentes, e hoje é uma banda de um estilo próprio, que mescla algo de heavy metal e hard rock com diversos gêneros musicais.

 

Nome da banda, letras & etc.

O nome Avenged Sevenfold (vingado sete vezes, em português) é uma referência ao livro do Gênesis na Bíblia, quando Caim é sentenciado a viver em exílio por matar seu irmão. Deus o marcou e ninguém poderia matá-lo pelo seu pecado. Quem matasse Caim seria “castigado sete vezes” e assim, Caim seria vingado sete vezes. O título da canção Chapter Four se refere ao Gênesis 4:15, o capítulo da Bíblia onde a história de Abel e Caim se passa. Beast and the Harlot é outra canção derivada de assuntos bíblicos, que vem do Livro da Revelação, escrito em primeira pessoa e que tem como enredo a punição da Grande Babilônia, império mundial e centro de falsas religiões. Outra referência bíblica está em The Wicked End; a canção aborda o tema de Adão e Eva afirmando que Adão não estava certo ao comer o fruto proibido. A banda também possui letras políticas como Critical AcclaimBlinded In Chains e M.I.A, letras melancólicas como Seize The DayWarmness On the Soul e I Won’t See You Tonight (Part:1) . O A7X também se caracteriza por ser uma banda rica liricamente tratando de diversos assuntos em suas letras.

Sobre a mudança de estilo e as acusações de se vender, M.Shadows disse:

 

“Essas pessoas me lembram a mim mesmo quando eu tinha treze anos e chamava as bandas de vendidas. Nós apenas escrevemos o que está em nossos corações e fazemos o melhor possível. Nós não somos a Microsoft, não estamos tentando fazer IPods e fornecê-los para as pessoas. Nós vamos escrever o que está em nossos corações, em nossas almas para as pessoas escutarem e gostarem. É para isso que estamos aqui. Nós somos apenas uma banda, somos apenas cinco garotos tendo um bom momento e colocando nossos corações na linha. E jamais lançaríamos, nem em um milhão de anos, algo que não viesse de nosso corações, apenas por lançar. Quando os garotos nos chamam de vendidos, geralmente são jovens ou estão confusos ou furiosos por que não é o mesmo som do álbum anterior. Talvez um dia eles fiquem mais velhos e pensem que nós estamos longe de ser vendidos. Nós sempre fizemos o que queríamos e a gravadora jamais nos dirá o que colocar em um álbum. Então, um dia eles crescerão e perceberão que eles não gostaram do álbum mas não precisam nos chamar de vendidos. Acho que, hoje em dia, ser chamado de vendido é normal. As pessoas chamarão você de vendido, não importando o que faça.”

Sobre a origem do sentimento para compor letras políticas como Critical Acclaim, M.Shadows disse:

“Acho que vem das muitas queixas sobre o nosso país ultimamente. A mídia é muito unilateral. É, uma mídia muito liberal que está sempre reclamando, achando que todos estão contra eles e eles meio que perdem a visão da natureza humana e do elemento humano. Atualmente, há pessoas lutando e defendendo nosso país, há pessoas em nosso país fazendo crescer nossa comida… frutas e vegetais. Eles estão pegando nossa comida e levando-as por todo país em caminhões para que as pessoas possam comer. Em todo o lugar desse país, e acho que as pessoas esquecem desse elemento humano e chega a um ponto em que fico suficientemente irritado. Tenho amigos suficiente nas forças armadas, lutando por este país e isso me deixou irritado suficiente para que eu quisesse escrever uma música sobre isso.”

O Deathbat

 

O logo oficial da banda é o Deathbat, uma caveira com asas. Foi originalmente criado por um amigo de escola dos integrantes, Micah Montague. Cam Rackam, outro amigo, também fez diversos tipos de Deathbats e algumas pinturas como o single da música Beast and the Harlot assim como Casey Howard que fez o design do logo para a Fall Tour com a banda Buckcherry em 2008, o Abraham Deathbat. C.Howard também fez os desenhos interiores do encarte do álbum Avenged Sevenfold de 2007. O símbolo aparece em diversos álbuns como Waking The Fallen e Avenged Sevenfold e em singles como Critical Acclaim e Bat Country. O Deathbat está sempre presente nos shows, nas palhetas e fundos de palcos e também é a tatuagem mais comum entre os fãs da banda.

 

Fonte : http://pt.wikipedia.org/wiki/Avenged_Sevenfold

 

” Avenged Sevenfold é incontestavelmente uma banda do caralho !!! Pessoas inteligentes e dispostas com estilo e muito talento, não a mais nada a ser dito, apenas isso, eles são do caralho !!! “

By : The Black Garden

 

 

M. Shadows dezembro 15, 2011

Filed under: Rock Stars — theblackgarden @ 10:18 pm

Matthew Charles Sanders

(Huntington Beach, Califórnia 31 de julho de 1981), mais conhecido por seu nome artístico M. Shadows. É filho de Gary e Kim Sanders. Ele tem uma irmã mais nova chamada Amy. É atualmente o vocalista da banda de Metal Alternativo, Avenged Sevenfold.

Infância e família

Nascido e criado em Huntington Beach, expulso da escola muitas vezes por violência, não se sabe em qual série ele parou de estudar. Ele diz que seu pai é seu melhor amigo, e que ele realmente o admira.

Início

M. Shadows costumava tocar piano antes de começar a cantar em sua primeira banda, “Successful Failure”. Enquanto crescia, escutou um monte de punk rock como H2O e The Misfits e entrou na cena do metal quando seu pai comprou Appetite For Destruction do Guns N’ Roses depois de ter visto eles no Headbanger’s Ball da MTV’s. Nos anos seguintes,M. Shadows formou o Avenged Sevenfold com o guitarrista Zacky Vengeance. Zacky anteriormente era membro de um grupo punk denominado ‘MPA. Ainda na banda Successful Failure, M. Shadows escreveu a música “Streets” que mais tarde seria gravada no Avenged Sevenfold e divulgada no primeiro álbum, Sounding the Seventh Trumpet. O álbum foi um mix de metalcore e punk rock, mas também inclui um mais macio (Warmness On The Soul).

 

 

 

Avenged Sevenfold

M. Shadows declarou que ele tem um forte apoio das tropas que servem os Estados Unidos, depois que seus amigos estão em serviço no Iraque. A canção “M.I.A.” ( “Missing In Action”) teria sido escrita em homenagem a esses amigos. A canção “Gunslinger” manifesta-se ainda esses sentimentos, A música “Critical Acclaim” pode ser interpretado como um ataque à aqueles que criticam o país inteiro. M. Shadows fez aparições em vários álbuns de outros artistas, incluindo o primeiro álbum solo do famoso guitarrista Slash, lançado em 2010.

Casamento com Valary DiBenedetto

Em 2009, foi oficializada a união de M. Shadows com Valary DiBenedetto, sua melhor amiga e namorada desde a 6ª série. Valary costumava trabalhar para a banda no começo. Na festa, compareceram todos os componentes da banda (sendo esses os padrinhos do casamento, juntamente com um dos roadies da banda, Jason Berry), amigos do casal e familiares.

Estilo vocal

No álbum de estréia da banda, Sounding The Seventh Trumpet, O vocalista M. Shadows tinha uma influência pesada e metalcore consistia principalmente de gritos vocais. Este estilo foi diminuído gradualmente em álbuns posteriores com um vocal mais tênue.

 Após o lançamento de City of Evil um boato tinha se desenvolvido afirmando que a razão pela qual M. Shadows decaiu a gritar foi devido a ter rasgado uma corda vocal na parte traseira de sua garganta. No entanto, isso não é verdade. Shadows admitiu ter feito uma cirurgia na garganta para melhorar o alcance vocal, mas isso não foi motivo para a mudança e em uma entrevista no All Excess, afirma o gerente Larry Jacobson, Shadows tinha decidido que dois anos antes da tomada de City of Evil que seria um álbum todo de canto. Ele havia deixado claro para o produtor, Andrew Murdock, que o álbum que eles estavam trabalhando no momento do Waking the Fallen seria meia cantando e gritando, e que o próximo seria todo canto. No passado Shadows cantava em todas as partes das canções durante performances ao vivo, apoiando a teoria de que ele não era mais capaz de gritar ou rosnar. Talvez farto com todas aquelas acusações, Shadows retomou a gritar novamente durante shows, isso pode ser visto no novo DVD da banda ao vivo “Live in the LBC & Diamonds in the Rough “Em quase todos as músicas do DVD. Alguns de suas maiores influências musicais são Metallica, Iron Maiden, Pantera, Queen, Guns N’Roses e Van Halen, diz M. Shadows.

fonte  : http://pt.wikipedia.org/wiki/M._Shadows

” Shadows é definitivamente um vocalista espetacular, sua voz e sua atitude no palco impressionam e fazem um verdadeiro show, claro, ao lado de seus amigos. Continue sempre assim estaremos contigo sempre M. Shadows ! “

By : The Black Garden

 

continuando a rir dezembro 14, 2011

Filed under: rir é um ótimo remédio #2 — theblackgarden @ 3:28 am

 ” Nós fans de supernatural entendemos”

 

Green Day dezembro 11, 2011

Filed under: Green Day — theblackgarden @ 2:47 pm

Green Day

 

Green Day é uma banda de punk rock dos Estados Unidos formada em 1987 em East Bay, Califórnia.

A banda é composta por 

 

Billie Joe Armstrong

 

” Quer Saber mais sobre o Fodástico Billie ? Então clique no nome dele e você irá para a matéria que o The Black Garden fez para ele ! “

Mike Dirnt

 

Michael Ryan Pritchard, conhecido como Mike Dirnt, (Rodeo, Califórnia, 4 de maio de 1972) é o baixista da banda de punk rock, Green Day. O seu apelido fictício (Dirnt) deve-se ao fato de que estava aprendendo a tocar baixo e, no colégio, ficava repetindo notas no baixo que soavam comoonomatopéia em inglês (dirnt, dirnt, dirnt), e ele adotou a brincadeira para o seu ‘sobrenome’.

 

Dirnt não teve uma vida fácil. Quando nasceu, sua mãe, uma viciada em heroína, o deixou para adoção. Ele foi adotado por uma mãe negra e um pai branco, que, pelas evidências, foram explicando para ele desde cedo que era adotado. Ele tem uma meia irmã, chamada Myla, que saiu de casa aos 13 anos.

Logo após completar seis anos, seus pais adotivos se divorciaram e Mike acabou ficando com o seu pai, um programador analista de sistemas próspero e a nova mulher dele. Em uma de suas entrevistas Mike disse: “Eu cresci com a minha mãe odiando os brancos, mas ela só amava a mim.” Sua mãe acabou se casando novamente. “Quando eu tinha catorze ou quinze anos, minha mãe passou a noite inteira fora, voltando pra casa no dia seguinte com um cara e, de repente, ele virou meu padrasto”.

 

 

e por …

Tré Cool

 

” Quer saber mais sobre o Tré ? Então clique no nome dele e você irá para a matéria que o The Black Garden fez para ele no dia do seu aniversário ! “

 Desde a sua criação a banda já lançou oito álbuns, 39/SmoothKerplunkDookieInsomniacNimrodWarning,American Idiot e 21st Century Breakdown.

 

História

Formação e anos Lookout!: 1987–1993

Mike Dirnt e Billie Joe Armstrong se conheceram aos 10 anos de idade, pouco antes do pai de Billie morrer de câncer. Dirnt foi um dos poucos amigos de Billie que chegou a conhecer seu pai. Quando Mike completou 15 anos, ele se mudou para a casa de Billie e, os dois, para se sustentar, começaram a trabalhar de ajudantes de garçom no Rod’s Hickory Pitt. No ano de 1987, Mike e Billie fundaram uma banda, e a batizaram de Sweet Children. O primeiro show deles aconteceu no dia 17 de outubro daquele ano, no Rod’s Hickory Pit em Vallejo, Califórnia, onde a mãe de Armstrong trabalhava. Em 1988, Armstrong e Dirnt começaram a trabalhar com o ex-baterista do Isocracy, John Kiffmeyer, também conhecido como Al Sobrante. Kiffmeyer atuou como baterista e gerente de negócios da banda, organizando shows e ajudando-lhes a estabelecer uma base de fãs.

 

Pouco tempo depois, fizeram um show em um clube chamado Gilman Street, nesta mesma época, Tré Cool tocava na banda The Lookouts. 

Algum tempo depois, Larry Livermore, dono da Lookout! Records, viu a banda tocar, e logo eles conseguiram assinar contrato com a gravadora. Em 1989, o Green Day grava seu primeiro EP, intitulado 1,000 Hours. Antes de 1,000 Hours ser lançado, eles abandonaram o nome Sweet Children, de acordo com Livermore isso foi feito para evitar confusão com outra banda local, Sweet Baby. Por conta disso, mudaram o nome para “Green Day”, nome derivado de uma gíria americana que significa deixar de fazer suas obrigações para ficar fumando maconha o dia todo (Na data de 20 de abril).

A Lookout! lançaria no início de 1990 o primeiro LP da banda, 39/Smooth. Na sequência mais dois discos lançados, os EP Slappy e Sweet Children, o último incluiu algumas canções antigas que haviam sido gravadas para a gravadora Skene! Records, de Minneapolis. Em 1991, lançaram o álbum 1,039/Smoothed Out Slappy Hours, uma compilação dos EP SlappySweet Children e 1,000 Hours. No final de 1990, logo após a primeira turnê nacional da banda, o baterista Sobrante anunciou sua saída do grupo para frequentar a faculdade. Com a saída de Al, o Green Day chamou um baterista substituto temporário, Dave E.C., que tem créditos na canção “2000 Light Years Away”. Quando se preparavam para gravar seu segundo álbum, eles chamaram um outro baterista, Tré Coolagora fazia parte do grupo, e a formação final do Green Day estava completa. A banda saiu em turnê em 1992 e 1993, com uma passagem pela Europa. Em 1992, Kerplunk foi lançado e a reputação da banda cresceu tornando-a mais produtiva da Lookout! Records.

Inovação e sucesso: 1994–1996

Com o sucesso de Kerplunk, o Green Day chamou a atenção das grandes gravadoras, e em abril de 1993 eles deixam sua gravadora e foram contratados pela Reprise Records, depois de atrair a atenção do produtor Rob Cavallo. Refletindo sobre o período, Armstrong disse à revista Spin em 1999, “Eu não poderia voltar à cena punk, ou nós éramos o maior sucesso do mundo ou o maior fracasso… A única coisa que eu poderia fazer era subir em minha moto e seguir em frente.” Depois de assinar com a Reprise, a banda começou a trabalhar na gravação de seu álbum de estreia na gravadora, Dookie. Lançado em fevereiro de 1994, e gravado em três semanas, Dookie tornou-se um sucesso comercial, com o apoio da MTV sobre as canções “Longview”, “Basket Case” e “When I Come Around“, todas que alcançaram a primeira posição na parada musical Billboard Modern Rock Tracks. Naquele ano, o Green Day embarcou em uma turnê nacional, com a banda Pansy Divisionabrindo o show. Em um concerto no Boston Esplanade no dia 9 de setembro de 1994, houve uma confusão, e no fim do tumulto, 100 pessoas ficaram feridas e 45 detidas. A banda também se apresentou no festival de música alternativa Lollapalooza.

 

No festival musical Woodstock ’94, o Green Day foi convidado para fazer uma apresentação, o evento estava sendo transmitido ao vivo em pay-per-view para todo o território dos Estados Unidos e em vários outros países. A apresentação do Green Day atraiu o olhar de telespectadores para aquela banda de punk rock com cabelos coloridos e letras engraçadas.

Mas o que marcou a apresentação foi a guerra de lama realizada pelos integrantes da banda, que incentivavam o público a jogarem lama neles. O palco se viu tomado no verdadeiro caos em meio a músicas e lama voando para todos os lados, tanto que no final do show as pessoas começaram a subir no palco, quebrando a barreira de segurança e, no meio dessa confusão, o baixista Mike Dirnt foi confundido com um invasor e acabou sendo derrubado por um dos seguranças perdendo dois dentes. Mas a apresentação no festival, ainda auxiliado pela publicidade e reconhecimento crescente da banda, ajudou a empurrar o seu álbum para o status de diamante. Em 1995, Dookie ganhou o Grammy Award de “Best Alternative Album” (Melhor Álbum Alternativo) e a banda foi indicada para nove prêmios no MTV Video Music Awards, incluindo “Video of the Year” (Vídeo do Ano).

Em 1995, um novo single foi lançado e incluído na trilha sonora do filme Angus ( foto ao lado), intitulado “J.A.R.” ( música escrita pelo baixista Mike Dirnt, em homenagem a Jason, um amigo muito próximo deles) . O single foi direto para a primeira posição na parada Billboard Modern Rock Tracks. A canção foi seguida pelo novo álbum da banda, Insomniac, que foi lançado no outono de 1995. Contudo, o sucesso repentino levou a comunidade punk rock a chamar a banda de vendidos. Insomniac foi uma resposta muito mais agressiva e mais pesada da banda, em comparação com o pop, e mais melódico Dookie. Insomniac recebe uma calorosa recepção da crítica, ganhando 4 de 5 estrelas da revista Rolling Stone. Os singles lançados do álbum foram “Geek Stink Breath”, “Brain Stew/Jaded”, “Walking Contradiction” e “Stuck with Me”. Embora o álbum não tenha chegado nem perto do sucesso de Dookie, ele ainda vendeu dois milhões de cópias nos Estados Unidos. Em 1996, Insomniac rendeu à banda indicações no American Music Awards nas categorias “Favorite Artist” (Artista Favorito), “Favorite Hard Rock Artist” (Artista Favorito de Hard Rock) e “Favorite Alternative Artist (Artista Alternativo Favorito), e o vídeo de “Walking Contradiction” recebeu uma indicação aoGrammy de “Best Video, Short Form” (Melhor Vídeo, Forma Curta), além de uma indicação de “Best Special Effects” (Melhor Efeitos Especiais) no MTV Video Music Awards. Depois disso, a banda cancelou abruptamente uma turnê europeia, citando a exaustão.

Depois de fazer uma pausa em 1996, o Green Day começou a trabalhar em um novo álbum em 1997. Desde o início, tanto a banda quanto o produtor Cavallo concordaram que o álbum tinha que ser diferente de seus lançamentos anteriores. O resultado foi Nimrod, que marcou uma mudança de direção para a banda. O novo álbum foi lançado em outubro de 1997. Nele aparece uma variedade de gêneros, como pop-punk, surf rock, ska e uma balada acústica. O sucesso de “Good Riddance (Time of Your Life)”, levou a banda à ganhar um MTV Video Music Awards de “Best Alternative Video” (Melhor Vídeo Alternativo) para o vídeo da canção.Os outros singles lançados do álbum foram “Nice Guys Finish Last”, “Hitchin’ a Ride e “Redundant”.

Em 2000, o Green Day lança Warning ( Foto ao lado ), mais um passo no estilo que eles tinham insinuado com Nimrod, neste álbum entrava em cena um estilo mais politizado da banda. Apesar de ter produzido os hits “Minority” e “Warning”, alguns críticos chegavam à conclusão de que a banda estava perdendo relevância, e seguido de uma diminuída na popularidade. Apesar de todos os álbuns anteriores do Green Day terem atingido platina dupla, Warning só foi certificado disco de ouro.

No prêmio California Music de 2001, o Green Day ganhou oito prêmios, “Outstanding Album” (Álbum de Destaque) e “Outstanding Punk Rock/Ska Album” (Álbum de Destaque de Punk Rock/Ska) por Warning, “Outstanding Group” (Grupo de Destaque), “Outstanding Male Vocalist” (Vocalista Masculino de Destaque), “Outstanding Bassist” (Baixista de Destaque), “Outstanding Drummer” (Baterista de Destaque), “Outstanding Songwriter” (Compositor de Destaque) e “Outstanding Artist” (Artista de Destaque).

Ainda neste ano, é lançado a coletânea dos maiores êxitos da banda, International Superhits!, seguido da coleção de vídeos musicais International Supervideos!. Em 2002, é lançado a coletânea Shenanigans, que continha alguns b-sides da banda, incluindo “Espionage”, que fez parte da trilha sonora do filme Austin Powers O Agente Bond Cama, que foi indicada para um Grammy de “melhor performance de rock instrumental”.

 

American Idiot e sucesso renovado: 2003–2006

No verão de 2003, a banda entrou em estúdio para escrever e gravar o novo material para um novo álbum, que seria intitulado Cigarettes and Valentines. Após completarem 20 faixas, as fitas master foram roubadas do estúdio. A banda escolheu não tentar recriar o álbum roubado, mas ao invés disso, começou tudo de novo. Em novembro, o Green Day colaborou com Iggy Pop em duas faixas de seu álbum Skull Ring. Em 1 de fevereiro de 2004, uma nova canção, um cover de “I Fought the Law” fez sua estreia em um comercial do iTunes durante o NFL Super Bowl XXXVIII.

 

 

Em 21 de setembro, sai o álbum American Idiot (foto ao lado), estreando em primeiro lugar nas paradas da Billboard, sendo a primeira vez que um álbum da banda alcança o topo, apoiado pelo êxito do primeiro single do álbum, “American Idiot”.

O álbum foi anunciado como um “punk opera rock”, ou mais corretamente, um álbum de conceito contando a história de personagens como “St. Jimmy”, “Jesus of Suburbia” e “Whatsername”American Idiot ganhou o Grammy 2005 de “Best Rock Album” (Melhor Álbum de Rock) e a banda ‘varreu’ o MTV Music Awards, vencendo um total de sete dos oito prêmios no qual foram indicados, inclusive o “Viewer’s Choice Award” (Prêmio Escolha do Público). Até o fim de 2005, a banda fez uma turnê de divulgação do álbum, com cerca de 150 datas — a mais longa turnê de sua carreira — em visita ao Japão, Austrália, e Reino Unido.

As gravações feitas no Milton Keynes National Bowl, em 2005, na Inglaterra, resultaram no lançamento em CD e DVD ao vivo de Bullet in a Bible, lançado em 15 de novembro do mesmo ano. Este álbum contém hits de American Idiot, bem como algumas canções de todos os seus álbuns anteriores, exceto Kerplunk e 1,039/Smoothed Out Slappy Hours. Em 10 de janeiro de 2006, a banda foi premiada com oPeople’s Choice Awards de grupo favorito. Em 2006, o Green Day ganhou o Grammy de “Record of the Year” (Gravação do Ano), com a canção “Boulevard of Broken Dreams”, que passou 16 semanas seguidas na primeira posição na parada musical Billboard Modern Rock Tracks, um recorde que partilhava até aquele momento com Red Hot Chili Peppers, com “Scar Tissue” e “It’s Been Awhile”.

O grupo esteve no filme Live Freaky! Die Freaky!, junto de outras bandas punk da Bay Area, de San Francisco. O filme teve a direção de John Roecker. Nesta época, os integrantes afirmaram que a era American Idiot havia acabado. Ainda em 2006, em parceria com o U2, fizeram uma apresentação juntos e cantaram um cover de “The Saints Are Coming”, do The Skids. Todo o dinheiro arrecadado por este single foi doado para ajudar as pessoas atingidas pelo Furacão Katrina, que devastou a cidade de Nova Orleans.

Foxboro Hot Tubs e 21st Century Breakdown: 2007–presente

Em 2007, saiu um cover da canção “Working Class Hero” de John Lennon cantada pelo Green Day, essa música faz parte do álbum Instant Karma, de homenagem a John, em que participaram outros artistas como U2, Aerosmith, Black Eyed Peas, Snow Patrol, Ben Harper, Avril Lavigne, entre outros. A banda tem se envolvido em vários outros projetos de menor dimensão, no tempo após a promoção de American Idiot. No final de 2007, uma banda nova surgiu, e suas músicas foram divulgadas na Internet. Mais tarde, foi divulgado no site oficial do Green Day, que era um “projeto secreto” organizado pelo grupo, que se chama Foxboro Hot Tubs ( Banda formada pelos mesmo integrantes do Green Day Billie, Mike & Tré mais os “Jasons” do próprio Green Day ). Eles lançaram um álbum sob o nome desta banda intitulado Stop Drop and Roll!!!. Em 2008, o Foxboro Hot Tubs fez uma mini-turnê para promover o lançamento, atingindo pequenos estabelecimentos da Bay Area, incluindo o Stork Club, em Oakland e Toot’s Tavern em Crockett, Califórnia.

 

 

Em uma entrevista com Carson Daly, a vocalista do Garbage, Shirley Manson revelou que Butch Vig estaria produzindo o próximo álbum do Green Day. O período de quase cinco anos entre American Idiot e 21st Century Breakdown foi o maior intervalo entre os álbuns de estúdio da carreira do grupo. A banda começou a trabalhar em um material novo em janeiro de 2006.

 Em outubro de 2007, Armstrong tinha 45 canções escritas, mas a banda ainda não mostrava sinais de progresso até outubro de 2008, quando um vídeo do grupo gravando com o produtor Butch Vig no estúdio foi postado no YouTube. Dois vídeos mostrando a banda no estúdio foram postados. O processo de escrita e gravação, abrangendo três anos e quatro estúdios de gravação, foi finalmente concluído em abril de 2009.

 

O novo álbum, intitulado 21st Century Breakdown, foi lançado mundialmente em 15 de maio de 2009, tendo recebido elogios de Krist Novoselic ( Ex-baixista ), da banda Nirvana. O álbum teve um recepção positiva da crítica, principalmente, obtendo uma média entre 4 e 5 estrelas. Após o lançamento, o álbum ficou em primeiro nas paradas em quatorze países diferentes, atingindo ouro ou platina em cada um. O desempenho de 21st Century Breakdown nas paradas é o melhor atingido pelo Green Day até o momento. Cinco singles foram lançados, “Know Your Enemy”, “21 Guns”, “East Jesus Nowhere”, “21st Century Breakdown” e “Last of the American Girls”, sendo que 21 Guns também faz parte da trilha sonora do primeiro filme da série de Transformers e Know Your Enemy é utilizada como tema de abertura do show da WWE, Friday Night SmackDown.

 

No MTV Video Music Awards de 2009, “21 Guns” levou três prêmios, se tornando o videoclipe mais premiado da noite, junto com “Single Ladies” e “Poker Face”, de Beyoncé e Lady Gaga, respectivamente. A banda também se apresentou na premiação tocando a canção “East Jesus Nowhere”. Já no GRAMMY Awards, a banda levou pela segunda vez o prêmio de Best Rock Album(Melhor Álbum de Rock).

 

American Idiot: O Musical e nono álbum de estúdio

 

No dia 20 de Abril de 2010, American Idiot: O Musical estreou na Broadway e Green Day lançou o álbum intitulado American Idiot: The Original Broadway Cast Recording. No álbum há, também, uma canção nova, intitulada “When It’s Time” ( uma de várias músicas que Billie Joe teria escrito para sua mulher Adrienne, essa porém nunca mostrada antes pelo cantor ) .

 

Durante os “Spike Video Game Awards”, foi anunciado que o Green Day lançaria seu próprio jogo, Green Day Rock Band, que foi lançado em Junho de 2010 ( Foto ao lado ).

A banda está planejando lançar um novo álbum em dois anos, mas nenhuma data específica foi liberada. Eles disseram que vêm escrevendo novas canções. Em uma entrevista com a revista Kerrang, Armstrong comentou sobre o possível novo álbum: “Nós gravamos algumas demos em Berlin, Stockholm, Glasgow e algumas em Amsterdam.” Algumas das possíveis músicas do CD já foram tocadas em alguns shows, como Cigarettes And Valentines e Olivia.

No dia 17 de Dezembro de 2010, foi anunciado que o novo álbum/DVD ao vivo se chama Awesome As Fuck. O disco foi lançado no dia 15 de Março de 2011.

Fonte : http://pt.wikipedia.org/wiki/Green_Day ( E meu aservo pessoal de informações do Green Day)

” Green Day é uma banda perfeita, integrantes que mostraram que estão onde estão porque merecem, acima de tudo são humildes e incrivelmente criativos, Green Day continue sempre nos surpreendendo pois seremos seus fans eternamente !!! “

By : The Black Garden